top of page
  • Foto do escritorECCLO

Programa Aterro Zero. O que fazer com o Lodo?

Atualizado: 4 de jul.

Muitas indústrias hoje estão aderindo ao programa Aterro Zero. Que basicamente constitui exatamente o que o nome diz: nenhum envio de resíduos para lixões ou aterros sanitários.


Mas como fica o grande volume de Lodo do tratamento de efluentes (ETEI) que é enviado para aterros?

lixão, aterro sanitário, lodo, rio

Vamos começar respondendo uma pergunta comum: "O que é o lodo?"

Lodo é um resíduo semissólido, pastoso e de natureza predominantemente orgânica gerado em estações de tratamento de efluentes


A disposição final desse resíduo tornou-se um problema ambiental urbanos muito relevante da atualidade principalmente pelos grandes volumes gerados.


Algumas indústrias, possuem um lodo passível de compostagem direta e conseguem evitar o envio para aterro. Mas a grande maioria das indústrias fazem a desidratação do lodo por diferentes meios (filtro prensa, centrífugas, leitos de secagem) e depois enviam para um dos destinos finais como incineração e disposição em aterros.


Esse processo de gestão do Lodo conta com diversos procedimentos complicados e gera altos gastos o que pode prejudicar o funcionamento e operação da Estação de tratamento (ETE).


"O volume do lodo gerado é apenas 1 a 2% do volume do esgoto tratado, porém o processamento do lodo representa aproximadamente 40% dos custos de implantação; 20 a 60% de custos de operação e 90% dos problemas operacionais. (Khiari et al., 2004)

Por estes motivos, a escolha de tecnologia de desaguamento do lodo em uma indústria merece atenção privilegiada.


A tecnologia dos Jardins para Tratamento de Lodo é muito vantajosa nesse sentido. Pois sua operação é muito simples e não exige nenhum envio de matéria para aterros. Além disso, pode ser aplicada para todos os tipos de lodo mesmos os mais difíceis como os contendo metais pesados, por exemplo.


O lodo bruto é lançado no jardim, onde sofre a digestão aeróbia através

composto orgânico, adubo, lodo de esgoto
O lodo após tratado nos jardins está pronto para ser utilizado como adubo.

da interação das raízes das plantas com a matéria. Passado o tempo necessário de maturação (de 5 a 8 anos) é retirado um volume muito reduzido de composto pronto para ser utilizado como adubo em paisagismos ou agricultura.


Ou seja, a implantação dos Jardins de Lodo elimina toda a dor de cabeça e gastos financeiros dos demais processos de gestão de lodo, além de fazer bem ao meio ambiente e permitir a efetiva aderência ao programa Aterro Zero nas indústrias.


Sem gasto de energia, sem compra de insumos, sem envio para aterro.


Veja mais sobre o tratamento de lodo por jardins nesse post:


Conte com nossos consultores para conversar especificamente sobre o seu caso.

Entre em contato em: 19 98805-6678 / 11 94014-7515 / contato@ecclo.com.br


Comments


bottom of page