top of page
  • Foto do escritorEcclo

Guia de Implementação de Jardins de Tratamento: Da Concepção ao Comissionamento

Os Jardins de Tratamento de Efluentes surgem como uma solução inovadora e sustentável para o tratamento de águas residuais, especialmente no contexto industrial. Esta tecnologia combina métodos naturais com engenharia avançada para purificar efluentes antes de serem reintroduzidos no meio ambiente ou reutilizados. Os Jardins de Tratamento utilizam plantas específicas que têm a capacidade de absorver e degradar contaminantes presentes nos efluentes, uma prática conhecida como fitorremediação.

A fitorremediação é uma estratégia chave para enfrentar a poluição hídrica, pois oferece uma abordagem ecologicamente correta e muitas vezes mais econômica em comparação com os métodos tradicionais de tratamento de efluentes. Ao aproveitar a capacidade natural das plantas para limpar o ambiente, os Jardins de Tratamento não apenas reduzem os contaminantes, mas também contribuem para a criação de habitats biodiversos e a melhoria da qualidade paisagística local.

Este artigo tem como objetivo descrever detalhadamente as fases da implementação de Jardins de Tratamento de Efluentes, desde os levantamentos preliminares até a operação e manutenção pós-obra, passando por toda a construção. Através desta explanação, pretendemos elucidar a complexidade e a eficiência destes sistemas, oferecendo uma visão clara do processo para facilitar a compreensão e a participação ativa dos contratantes e interessados.


imagem representativa de um lado um jardim de tratamento lindo finalizado com águas limpas e de outro como se fosse as obras desse jardim de tratamento em implementação.


1. Levantamentos da Área

Topógrafo fazendo levantamento da área

A fase inicial de qualquer projeto de Jardim de Tratamento de Efluentes começa com um levantamento detalhado da área. Esta etapa inclui sondagem, levantamento topográfico, análises laboratoriais dos efluentes e medições de vazões. Esses procedimentos são cruciais porque fornecem uma base de dados precisa que impactará todas as decisões futuras. A sondagem do solo revela suas características e capacidade de suporte, o que é essencial para o design estrutural. As análises laboratoriais dos efluentes ajudam a entender a carga poluente que será tratada, e as medições de vazões são fundamentais para dimensionar o sistema adequadamente.

Os dados coletados influenciam diretamente o design do sistema, a seleção do local e a tecnologia de tratamento a ser aplicada. Por exemplo, um solo com alta permeabilidade pode requerer técnicas específicas de impermeabilização para evitar a contaminação do lençol freático. A compreensão precisa do volume e da composição dos efluentes garante que as tecnologias escolhidas sejam as mais eficazes para o tratamento necessário, maximizando a eficiência e minimizando os custos operacionais.


2. Projeto/Design

equipe projetando tratamento de efluentes por jardins

O design de um Jardim de Tratamento é guiado pelas informações coletadas na fase de levantamento. Esta etapa envolve a elaboração de um layout detalhado que integra todas as infraestruturas necessárias, como tanques, canais e áreas de plantio. A escolha das plantas e tecnologias é feita com base na compatibilidade com os tipos de efluentes tratados. Neste ponto, a engenharia e a ecologia se encontram para criar um sistema que não apenas trata efluentes de forma eficiente, mas também se integra harmoniosamente ao ambiente local.

A seleção das tecnologias envolve escolher sistemas de tratamento que atendam às necessidades específicas do efluente, enquanto a seleção de plantas se baseia na sua capacidade de absorver ou filtrar contaminantes específicos. Esta escolha é essencial para garantir que o jardim não só cumpra os requisitos regulatórios, mas também contribua para a sustentabilidade ambiental e a estética do local.


3. Licenciamento Ambiental

aprovação da licença ambiental, mão assinando folhas

Antes de iniciar a construção, é crucial obter todas as licenças ambientais necessárias. Este processo envolve interações detalhadas com órgãos ambientais locais e nacionais. A Ecclo facilita esse processo para os contratantes, assegurando que todos os documentos e estudos de impacto ambiental estejam conforme as exigências legais.

Importância do Cumprimento das Normativas Legais

A conformidade com as leis ambientais não só protege o meio ambiente mas também assegura a viabilidade a longo prazo do projeto. O cumprimento das normativas evita penalidades legais e garante uma operação suave do Jardim de Tratamento de Efluentes, reforçando o compromisso da Ecclo com a responsabilidade ambiental.


4. Serviços Preliminares

máquina realizando retirada da camada de grama para limpeza do terreno antes de começar a construção dos jardins

Antes que a construção física comece, o terreno precisa ser preparado. Isso inclui a limpeza da área, removendo vegetação não desejada e detritos, e o cercamento, que protege a área e demarca o local de trabalho. Além disso, estabelecemos um canteiro de obras eficiente para garantir que todos os materiais e equipamentos necessários estejam organizados e acessíveis.


5. Terraplenagem

escavadeira hidráulica iniciando uma escavação do terreno com caminhão basculante ao fundo

A terraplenagem é uma etapa crítica que envolve a escavação, movimentação e compactação do solo para criar as estruturas do jardim. Isso pode incluir a criação de declives para controle de fluxo de água, aplanamento de áreas para instalações ou escavações para tanques. Essa fase é vital para assegurar que o terreno não apenas suporte as estruturas planejadas, mas também para o controle eficiente do fluxo de água através do sistema, ou seja, para a eficácia do tratamento de efluentes.


6. Hidráulica Externa


A fase de hidráulica externa é essencial para a integração eficiente de todos os componentes do Jardim de Tratamento. Utilizamos tubulações comuns de mercado como PVC reforçado branco para esgotos, PVC marrom de águas fria e ocre de infraestrutura. Essas tubulações são escolhidas por sua resistência, durabilidade e eficácia em condições de exposição aos efluentes. A instalação é feita geralmente por gravidade, conectando os Jardins verticais aos horizontais e às lagoas, garantindo uma transferência eficiente e controlada dos efluentes. Registros e válvulas são instalados para permitir o ajuste fino e o controle dos fluxos de água, assegurando uma operação flexível e adaptável.


7. Impermeabilização


Tanque escavado no solo (jardim de tratamento) impermeabilizado com manta PEAD

A impermeabilização é crítica para evitar contaminações do solo e das águas subterrâneas. Utilizamos mantas de PEAD ou PVC, similares às empregadas em aterros sanitários e lagoas de tratamento, que fornecem uma barreira eficaz contra vazamentos. Estas mantas são protegidas por camadas de Geotêxtil, que oferecem proteção mecânica contra danos. O teste Spark é realizado para verificar a integridade da impermeabilização. Este teste envolve aplicar uma corrente elétrica na manta para detectar falhas ou perfurações, garantindo que toda a área esteja completamente segura e vedada antes de prosseguir com as próximas etapas.

8. Hidráulica Interna


hidraulica interna de um filtro vertical no jardim de tratamento ou jardim filtrante

Concomitantemente à aplicação do substrato, procede-se à instalação da hidráulica interna. Isso inclui tubulações para alimentação e drenagem do Jardim, além de tubulações para aeração natural, quando necessário. Essas instalações são cruciais para a distribuição uniforme de efluentes dentro do Jardim e para garantir o tratamento efetivo através do substrato e das plantas.

9. Substratos


enchimento de jardim de tratamento com substrato filtrante

Os substratos desempenham um papel fundamental na eficácia do tratamento dos efluentes. Utilizamos principalmente britas de diferentes granulometrias, que são selecionadas com base em sua capacidade de suporte e porosidade, facilitando a aeração e o fluxo dos efluentes. A colocação do substrato pode ser feita manualmente com carrinhos de mão e ferramentas simples ou com o auxílio de máquinas como mini escavadeiras ou retroescavadeiras, dependendo do volume e da escala do projeto.

10. Testes de Impermeabilização e Preparo para o Plantio

Após a instalação das mantas de impermeabilização, o próximo passo é o enchimento dos Jardins com água até o topo do substrato. Este processo é essencial para testar novamente a impermeabilização e para preparar o ambiente para o plantio. A água preenchida ajuda a estabilizar a temperatura do substrato, crucial para proteger as plantas do calor excessivo das pedras sob o sol. Além disso, monitoramos a taxa de evapotranspiração e verificamos se a colocação das britas pode ter danificado as mantas de impermeabilização, garantindo que todas as condições estejam perfeitas para o plantio subsequente.


11. Plantio

homem fazendo o plantio de uma muda depuradora dentro de um jardim filtrante e wetland construído

A fase de plantio é fundamental para o sucesso dos Jardins de Tratamento. A escolha das espécies e quantidades de mudas é meticulosamente planejada para garantir que as plantas sejam não apenas aptas a prosperar no ambiente específico, mas também eficazes na absorção e degradação de contaminantes presentes nos efluentes. Utilizamos técnicas de plantio adaptadas às condições do solo e às características hidrológicas do local, maximizando a eficácia da fitorremediação e garantindo a saúde e o crescimento sustentável das plantas.


12. Integração de Sistemas e Construção de Tanques/Equipamentos

Os Jardins de Tratamento são frequentemente integrados com outros sistemas de tratamento para otimizar a purificação dos efluentes. Esta etapa pode incluir a construção de tanques para aeração preliminar, recalque, e outras funções essenciais. Equipamentos adicionais, como Calhas Parshall para medição de vazão, gradeamentos para proteção de bombas são instalados para garantir a eficiência e a operacionalidade do sistema de tratamento integrado.

13. Acabamentos

Após a instalação dos componentes principais, procedemos aos acabamentos que não apenas embelezam o local, mas também contribuem para a funcionalidade do Jardim de Tratamento. Isso inclui a instalação de grama, pisos duráveis e mobiliário urbano que proporcionam acessibilidade e conforto para manutenção e observação. Esses elementos são escolhidos para complementar o ambiente natural e garantir a durabilidade e a baixa manutenção.


14. Comissionamento

Tubulação de um Jardim de Tratamento JTE com plantas e sol ao fundo

O início da operação dos Jardins de Tratamento é precedido por um processo de comissionamento rigoroso. Durante esta fase, todos os sistemas são meticulosamente testados para verificar sua funcionalidade e eficiência. Este processo assegura que cada componente esteja operando conforme o esperado e que o sistema como um todo esteja pronto para começar a tratar os efluentes de maneira eficaz e segura.


15. Pós-Obra: Monitoramento, Operação & Manutenção

A fase pós-obra é crucial para a longevidade e eficácia dos Jardins de Tratamento. O monitoramento contínuo permite que sejam detectadas quaisquer questões operacionais ou de desempenho em tempo hábil. A manutenção regular é essencial para manter a funcionalidade do sistema e garantir que continue a operar em sua capacidade ótima. Esta fase inclui atividades como a limpeza de filtros, a inspeção de equipamentos, e o manejo das plantas, garantindo que o Jardim de Tratamento mantenha seu desempenho e sustentabilidade ao longo do tempo.


Conclusão: Implementação de Jardins de Tratamento

Jardim de tratamento, jardim filtrante, wetlands construídos implementado em uma fábrica e embelzando-a

Este artigo percorreu todas as etapas essenciais para a construção e operação eficaz de um Jardim de Tratamento de Efluentes. Discutimos a importância dos levantamentos iniciais, o detalhamento do projeto, o processo de licenciamento ambiental, a preparação e modelagem do terreno, a implementação dos sistemas hidráulicos, a seleção e aplicação de substratos, a impermeabilização e testes, e a crucial fase de plantio.

Cada fase abordada é vital para assegurar que o Jardim de Tratamento funcione de maneira eficiente e sustentável. A complexidade do processo reflete o compromisso da Ecclo com a excelência e a responsabilidade ambiental, assegurando que cada projeto não só atenda às expectativas de tratamento de efluentes, mas também contribua positivamente para o ambiente local e a comunidade.


Na Ecclo, estamos comprometidos em fornecer soluções completas para o tratamento de efluentes através dos Jardins de Tratamento. Oferecemos serviços abrangentes que incluem o Projeto/Design, Construção ou Fiscalização da Construção, e Operação/Manutenção de sistemas. Cada serviço é projetado para garantir que nossos clientes recebam soluções eficientes e sustentáveis, adaptadas às suas necessidades específicas.

Nossa equipe está pronta para ajudá-lo a projetar, construir e manter um Jardim de Tratamento que atenda às suas expectativas e contribua positivamente para o meio ambiente. Visite nosso site ou entre em contato conosco para saber mais e começar seu projeto com a Ecclo.


 

Perguntas Frequentes:

O que é fitorremediação e como ela é aplicada nos Jardins de Tratamento?

A fitorremediação é um processo natural de tratamento de poluentes que utiliza plantas para absorver, decompor ou neutralizar contaminantes ambientais, especialmente em solos e águas. Nos Jardins de Tratamento, utilizamos plantas selecionadas que são especialmente eficazes na limpeza de efluentes industriais, integrando-as em um sistema que trata a água de forma sustentável.

Como é o processo de licenciamento ambiental para um Jardim de Tratamento?

Quais tipos de plantas são utilizadas nos Jardins de Tratamento?

Quanto tempo leva para construir um Jardim de Tratamento de Efluentes

Quais são os cuidados necessários durante a operação e manutenção de um Jardim de Tratamento?

Os Jardins de Tratamento são adequados para todos os tipos de indústrias?


コメント


bottom of page